terça-feira, 8 de outubro de 2013

A fofoqueira

"Uma mulher espalhou uma fofoca sobre uma vizinha. Alguns dias depois, o bairro inteiro sabia da história. A moça que foi alvo da fofoca ficou muito magoada e ofendida. Mais tarde, a mulher que espalhou o boato descobriu que era tudo mentira. Ficou muito arrependida e foi visitar um velho sábio para descobrir o que podia fazer para consertar o estrago.
- Vá até a praça do mercado - disse ele -, compre uma galinha e mande matar. Depois, no caminho de casa, depene a galinha e solte as penas uma por uma pela rua. - Embora surpresa com o conselho, a mulher fez o que ele tinha mandado.
No dia seguinte, o sábio disse:
- Agora vá, recolha todas as penas que deixou cair ontem e traga para mim.
A mulher seguiu o mesmo caminho, mas, para seu desespero, o vento tinha dispersado todas as penas. Depois de procurar por horas, ela voltou com apenas três penas na mão.
- Está vendo - disse o velho sábio -, é fácil soltá-las, mas é impossível recolhê-las. Com a fofoca também é assim. Não custa muito espalhar um boato, mas, depois que se espalha, nunca se pode reverter o dano completamente."

(Autor desconhecido)

E aí, quantas vezes na vida nos deparamos com essa "mulher" (que às vezes pode ser um homem) que espalha algo sobre nossa vida sem ao menos saber se é verdade? Essa do texto ainda se arrependeu e quis se redimir... porém, muitas vezes, essa pessoa fofoqueira não quer nem saber se feriu ou magoou o outro...
Na minha vida, por exemplo, já levei muita bronca da minha mãe por conta de fofocas, assim como já fui magoada por outras pessoas também por isso. O mundo seria bem melhor sem FOFOCA, concorda?

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...